1-bioconcreto

O bioconcreto: um material capaz de regenerar suas próprias rachaduras

O bioconcreto é uma tecnologia que vem sendo muito discutida alguns anos devido a sua peculiaridade, pois como o concreto é uns dos materiais mais usado no mundo, na construção há geração de fissuras decorrentes das intemperes e pelas ações mecânicas, então esta tecnologia vem sendo muita estudada. Então o objetivo é mostrar como o bioconcreto pode ser muito eficaz na construção civil, e como é a formação do carbonato de cálcio, que é o componente que faz a “cicatrização” do concreto. Pela revisão pode-se compreender o processo que é realizado, a metodologia pode ser usada uma bactéria que tenha característica de precipitação de carbonato de cálcio em uma solução, e lactato de cálcio que funciona como alimento, que converte em carbonato de cálcio através do processo de uréase. O experimento realizado por Henk Jonkers mostra resultados importantes para que o bioconcreto foi desenvolvido. E que a pesquisa para que fora feita cumpriu seu objetivo na eficiência na “cicatrização”. O processo de “cicatrização” leva em média até 3 semanas, e virtualmente não há limite máximo para a extensão da fissura – a única limitação é que, para a regeneração funcionar, a fissura não pode ter mais de 8mm de largura.

O bioconcreto é um material capaz de regenerar suas próprias rachaduras. Parece mágica, mas a resposta está na natureza. A superbactéria Bacillus pseudofirmus é adicionada à mistura de concreto e só fica ativa quando entra em contato com água e oxigênio.

O material inovador já está sendo testado em algumas construções — no sul da Holanda, por exemplo, uma construção foi erguida com o bioconcreto e deve ser monitorada pelos pesquisadores com intervalos de dois anos.

 

 

FONTES:

https://aiza.com.br/inovacao-na-construcao-civil-bioconcreto/

https://constructapp.io/pt/bioconcreto-o-concreto-capaz-de-regenerar-suas-proprias-rachaduras/

http://www.revistaseletronicas.fmu.br/index.php/inovae/article/view/1678

recall-entenda-a-importancia-do-codigo-de-barras-para-o-rastreamento-do-produto-770x514

Rastreamento de ferramentas em obras

Os leitores de código de barras ajudam a ter controle absoluto sobre as ferramentas no canteiro de obras. O desvio delas podem custar milhões às companhias e podem causar acidentes se armazenadas em locais impróprios.

Cada ferramenta recebe um código de barras, que deve ser posicionado no leitor no começo e no fim do dia. Assim, o inventário eletrônico é mantido sempre atualizado e pode ser acessado a qualquer momento pelo administrador.

O código de barras funciona como uma espécie de “RG” dos produtos: cada um deles possui o seu, por meio do qual é possível identificá-lo de maneira automática e confiável.

Por meio desse controle, chamado de rastreabilidade, é possível identificar cada passo da produção dos produtos e todo o processo de logística envolvido em fazê-lo ir do campo à mesa, do chão de fábrica ao escritório.

Um dos pontos críticos na execução de uma obra é o controle sobre as ferramentas: quantidade, uso apropriado, manutenção e armazenamento. Quanto mais complexo o projeto, mais desafiador é manter este controle.

A perda e o roubo de ferramentas podem trazer sérios prejuízos, tanto para o andamento da obra como para o orçamento e, também, para a segurança dos trabalhadores, por isso o rastreamento de ferramentas é uma grande inovação evitando assim grandes e futuros prejuízos.

Fontes:

https://constructapp.io/pt/inovacao-na-construcao-civil-7-novidades-que-voce-precisa-conhecer/

https://blog.gs1br.org/recall-entenda-a-importancia-do-codigo-de-barras-para-o-rastreamento-do-produto/

https://aiza.com.br/rastreamento-de-ferramentas-na-construcao-civil/

agilia-contrapiso

As vantagens do contrapiso autonivelante

O contrapiso autonivelante, também chamado de autodensável ou autoescoante, pode ser um bom recurso para agilizar a execução de uma obra.

O seu uso é muito recomendável quando houver prazos mais curtos em uma obra, reduzindo assim não só o tempo de execução como o de “descanso” do material. É indicado para ambientes internos com trânsito baixo ou moderado.

O contrapiso autonivelante apresenta como principal característica a fluidez por ter a capacidade de se espalhar naturalmente na área de aplicação. Eliminando assim algumas etapas como a de vibração, compactação manual, sarrafeamento e desempeno (acabamento), que são necessárias em uma obra que utiliza argamassa de contrapiso convencional.

toughtek-self-leveling-underlayment

A escolha de contrapiso autonivelante é uma excelente opção para obter um resultado satisfatório com custos inferiores ao método tradicional. Algumas vantagens:

Redução da mão de obra necessária para a execução do serviço;

Uso de aditivos especiais que garantem resistência de 15 MPA e resultados superiores de planicidade;

Tecnologia própria para bombeamento da argamassa que dispensa transporte vertical;

Nivelamento, aplicação e acabamento executados com eficiência pelo prestador de serviços.

Um outro benefício do uso desse material, é a questão de ele não apodrecer com o passar dos anos, dificultando o aparecimento de insetos, como as formigas, por exemplo. Além disso, contribuem com um bom isolamento térmico e acústico.

Na hora da aplicação, é preciso que determinadas etapas sejam seguidas, dentre elas:

  • Pontos de nível devem ser executados com o auxílio de um equipamento a laser ou mangueira de nível;
  • Lave bem a superfície;
  • Aplicar uma nata de cimento para aumentar a aderência do contrapiso;
  • Preparar o traço de argamassa;
  • Aplicar e compactar a argamassa;
  • Desempenar a argamassa.

Imagens:

https://www.juntosnaobra.com.br/produtos/agilia/

https://www.graco.com/content/dam/graco/aftd/images/application/toughtek-self-leveling-underlayment.jpg

Fonte:

https://www.aecweb.com.br/cont/m/rev/contrapiso-autonivelante-proporciona-ganho-em-produtividade_12186_10_0https://www.concrefix.com/contrapiso-autonivelante-precohttps://aiza.com.br/inovacao-na-construcao-civil-contrapiso-autonivelante/