invista em sustentabilidade

Invista em sustentabilidade

Economizar água, usar materiais agregados (reciclados), tratar bem do seu entulho e outras ações sustentáveis representam oportunidade de economizar dinheiro. Além disso, agregam valor a sua obra, pois ela se torna ecologicamente correta, o que ajuda – e muito – na hora de vendê-la ou divulgá-la.

O mercado prioriza cada vez mais negócios sustentáveis. Por isso, finalizamos nossas dicas com um lembrete: invista em ações sustentáveis e reutilize ao máximo as sobras de sua obra. Busque certificações sustentáveis, que entreguem valor também ao meio ambiente e à sociedade.

Construções sustentáveis são aquelas que visam edificar empreendimentos imobiliários em harmonia com o meio ambiente. Isso significa que: empresas que trabalham com esse conceito planejam construções de forma que causem o mínimo impacto negativo na natureza.

Desse modo, os projetos são planejados para que os recursos sejam utilizados da melhor maneira possível, principalmente os bens naturais. Uma construção sustentável também utiliza materiais recicláveis e menos nocivos ao meio ambiente, como madeira de reflorestamento e tijolo adobe.

O papel da sustentabilidade na construção civil e suas vantagens para o setor

Abrangendo o consumo consciente de matéria prima, o reaproveitamento de resíduos e a minimização de desperdícios, o conceito de sustentabilidade na construção civil, quando bem observado, traz uma série de vantagens aos empreendedores.

Mais do que dar atenção especial aos aspectos sociais e ambientais que envolvem a obra, ser sustentável é também garantir a sua viabilidade econômica. Fazer com que os materiais sejam reutilizados, definir alternativas para a exploração dos recursos naturais e encontrar novas formas de geração de energia são atitudes que diminuem os impactos da construção no ambiente. Além disso, desempenham um papel fundamental para tornar os processos economicamente viáveis.

Sendo assim, entre os principais benefícios da sustentabilidade na construção civil, nós destacamos:

  • Redução de gastos, que se dá pela mencionada otimização dos processos;
  • Incentivos fiscais, que são cada vez mais comuns para as práticas sustentáveis no segmento construtivo;
  • Mais conforto aos proprietários, garantidos por cuidados arquitetônicos sustentáveis relacionados ao controle térmico, de luz e demais fatores ambientais;
  • Maior apelo e conforto visual, gerado pelos mesmos fatores;
  • Melhor argumento de vendas, uma vez que o conceito de sustentabilidade é cada vez mais valorizado no ambiente contemporâneo.

Cada vez mais comuns, eficientes e baratas, as tecnologias sustentáveis proporcionam uma grande influência positiva sobre o meio ambiente. Além disso, elas atendem a exigências comuns da nossa sociedade, relacionadas aos cuidados com as pessoas e com a natureza.

Ao aderir a essas práticas, a sua empresa será capaz de gastar menos em suas atividades e ainda elevará a sua imagem perante o mercado. Demonstrando toda a preocupação com a sustentabilidade na construção civil e o alinhamento ao que existe de mais moderno no segmento.

 

Fontes:

https://www.sienge.com.br/blog/9-dicas-para-economizar-na-construcao-civil
https://www.mobussconstrucao.com.br/blog/sustentabilidade-na-construcao-civil/
https://www.construtorasudoeste.com.br/blog/saiba-por-que-investir-em-construcoes-sustentaveis/

indicadores de perdas

Crie um indicador de desperdício

Como diz o ditado, não se gerencia aquilo que não se mede. Então, se você se pergunta como economizar na construção civil, deve controlar o desperdício de materiais, precisa definir indicadores. Se você já acompanha seus processos e conhece os números, agora precisa calcular.

Existe um cálculo específico para essa medição. Você define uma situação de referência e identifica a quantidade consumida. Depois, divide-a pela quantidade prevista e assim descobre o percentual do que é desperdiçado. A verdade é que, apesar de ser um tema antigo, ainda há muitas falhas das empresas na hora de controlar o uso correto dos seus insumos.

Daí decorrem as perdas nas suas mais diversas formas, especialmente de material. Tudo isso representa, ao final, muita perda de dinheiro para o setor. O fato é que, se não houver vigilância séria sobre esse item, a sua lucratividade pode ser muito comprometida. Por isso, quero insistir com você sobre a adoção de índices no canteiro que identifiquem claramente onde está problema.

Abaixo listamos os principais tipos de perdas

Perdas por superprodução: ocorrem devido à produção de materiais, como argamassa, em quantidades superiores às necessárias.

Perdas por substituição: decorrem da utilização de um material de valor ou características de desempenho superiores ao especificado.

Perdas por espera: são relacionadas com a sincronização e o nivelamento dos fluxos de materiais e às atividades dos trabalhadores.

Perdas por transporte: estão associadas ao manuseio excessivo ou inadequado de materiais e componentes devido à má programação das atividades ou de um layout ineficiente.

Perdas no processamento em si: decorrem da falta de treinamento da mão de obra ou de deficiências no detalhamento dos projetos.

Perdas nos estoques: estão associadas à existência de estoques excessivos, em função da programação inadequada na entrega dos materiais ou de erros na orçamentação, entre outros equívocos.

Perdas na movimentação: decorrem da realização de deslocamentos desnecessários dos trabalhadores, na execução das suas tarefas. Podem ser gerados por frentes de trabalho afastadas e de difícil acesso, falta de estudo de layout do canteiro e do posto de trabalho e falta de equipamentos adequados.

Perdas devido a produtos defeituosos: ocorrem quando são fabricados produtos que não atendem aos requisitos de qualidade especificados.

Outras: existem ainda tipos de perdas de natureza diferente dos anteriores, tais como roubo, vandalismo, acidentes, etc.

Como já vimos, os desperdícios ou perdas são um dos maiores problemas do setor. Embora discutidos há muito tempo, muitas empresas ainda patinam nestes quesitos.  Com isso, comprometem a sustentabilidade dos empreendimentos, um dos princípios básicos da construção civil de hoje, e acumulam prejuízos. É hora de dar prioridade para isso, começando pela implementação dos indicadores, a partir daí, com os diagnósticos preciso que os índices oferecem, tomar as medidas corretivas necessárias.

FONTE: https://www.sienge.com.br/blog/9-dicas-para-economizar-na-construcao-civil
https://www.sienge.com.br/blog/indicadores-de-perda-e-desperdicio
Imagem: http://blog.coletum.com/auditoria-em-obras-de-construcao-civil/

construcao_civil

A importância do planejamento na construção civil

Você pode considerar que na construção civil o planejamento é tão importante quanto a execução.

Com planejamento, é possível acompanhar o desenvolvimento do projeto e prever ações que podem garantir preço, prazo e qualidade.

É no planejamento que você verifica se a sua empresa tem dinheiro de caixa suficiente para cobrir custos operacionais. Depois, é hora de avaliar se o projeto trará lucros ou não para a sua construtora. Fazer um estudo de viabilidade é muito importante nele podem ser levantadas informações como:

  •         Equipamentos e ferramentas a serem utilizados;
  •         Custo para execução da fundação;
  •         Custos e orçamentos para preparação do terreno;
  •         Custos de terceirização e/ou contratação de mão de obra;
  •         Prazos para cada etapa da obra;
  •         Custos dos projetos arquitetônicos, estruturais, elétricos, hidrossanitários, prevenção de incêndio, ambientais, entre outros;
  •         Custos da regularização e licenciamento de obra;
  •         Possibilidades de financiamento e condições de pagamento;
  •         Cronograma de obra organizado;
  •         Cálculo de Retorno sobre Investimento (ROI);

Além disso, é fundamental para a gestão de qualquer projeto de obras organizar o orçamento, além cronograma físico-financeiro e do controle de execução.

O orçamento da obra

A princípio, para saber se o projeto é viável, o recomendado é fazer um orçamento geral da obra. Ou seja, tornando o planejamento na construção civil mais ágil e assertivo. Anteriormente, usava-se planilhas. Mas hoje, com o advento da tecnologia, todo processo é automatizado em processos com os ERPs (sistemas de gestão).Inegavelmente, essa tecnologia tornou a integração entre as áreas mais fácil, possibilitando acompanhar todo o andamento das tarefas — tanto física quanto financeiramente. Dessa forma, há uma gestão completa do negócio

O cronograma físico-financeiro

Posteriormente ao orçamento, todo planejamento na construção civil precisa ter um cronograma que vai distribuir os custos por datas e etapas. Ou seja, essa “conta” físico-financeira tem relação com a previsão do tempo na qual os serviços vão durar. Ademais, obviamente com quanto irão custar, também. Enfim, é importante mapear as atividades e os custos, melhorando o fluxo de caixa e a previsibilidade geral da entrega do empreendimento.

O controle de execução

Já que esse tipo de controle deve ser feito com um acompanhamento constante de todas as tarefas em andamento. Assim, é possível garantir que a equipe atue de forma eficiente e organizada. Nesse ponto, pode-se pensar, por exemplo, sobre as opções de aumentar a equipe durante alguma etapa do projeto ou terceirizar o processo. Sendo assim, analisando o que é mais vantajoso. Durante a execução também se recomenda reajustar os prazos previstos, adaptando o que for necessário.

A importância do planejamento na construção civil

Durante todas as fases de uma obra, os gestores precisam tomar decisões. Sejam elas a partir de métodos que são fundamentais para atender os prazos, a qualidade e o orçamento do empreendimento. É por isso que o planejamento é imprescindível.

Além disso, com um cronograma bem feito, é possível considerar a disponibilidade da mão de obra, os índices de produção e metas, a integração do escritório com o canteiro de obras e toda a logística.

 

Fonte: https://www.sienge.com.br/blog/9-dicas-para-economizar-na-construcao-civil,

https://www.globaltec.com.br/2018/01/16/a-importancia-do-planejamento-na-construcao-civil/

Imagem: https://blog.me.com.br/construcao-civil/